Home > Navegue

O ENFRENTAMENTO

O enfrentamento difícil é do homem consigo mesmo.

Feito desperto na necessidade de realizar mudanças começa a encontrar dificuldades, resiste o mais possível, luta contra novas propostas, cria dúvidas em relação às intuições que recebe, desfaz argumentos de quem o aconselha, se faz resistente a toda ajuda e aconselhamento.

− Sabem por que age assim?

Simplesmente por se desconhecer realmente, faz um conceito ilusório de si mesmo, confunde o que pensa que é. Como realidade sonha ser melhor do que é e quando vem a provação, quando é testado fale na resposta e surpreende-se, pensava ser capaz de corresponder ao testemunho, vencer qualquer dificuldade, tirar de letra a experiência e sobra-lhe o desapontamento, perturba-se e carece de tempo para admitir sua realidade.

Sua autoestima cai, vive com o desconforto do fracasso, fecha-se para a ajuda, o socorro, abraça-se à dor, à mágoa, o ressentimento, adoece sua alma e recolhe-se na sombra para suportar sua verdade, sua realidade.

− Sabem por quê?

Por lhe faltar humildade, por não ser tolerante consigo, por não saber perdoar-se, não amar-se, se faz infeliz e quantas vezes chega ao desatino de acabar com a própria vida, pois a depressão, muitas vezes, chega ao extremo e a pessoa não vê saída para o seu infortúnio.

O nosso chamado, o nosso alerta para estas situações tem relação com o momento de crise social que envolve a humanidade, que testa a fé, a coragem, a determinação de todo o cidadão, não importando classe social, raça, religião, todos nela estão envolvidos e sofrendo as consequências depurativas. É o momento há tanto tempo anunciado e para o qual tão poucos tiveram o cuidado de se preparar. Agora só há uma saída, “ter cuidado no caminhar”, após ter refletido, repensado:

− “Como tenho conduzido a minha vida, o que preciso mudar na forma de conduzir-me, que bagagem venho carregando desnecessariamente, que valores preciso transmutar para que não me perca na continuidade deste caminho que desconheço e não sei onde vai me levar”.

É a hora do Horto das Oliveiras, é a hora de estar só, é hora de ter fé, não esquecendo que, na sua misericórdia infinita, o Pai não abandona nenhum de seus filhos, até aqueles que desconhecem sua eterna presença em suas vidas.

Irmãos de humanidade, irmãos de ideal, de luta por um Mundo Melhor de harmonia, solidariedade e fraternidade, não se façam cegos a esta realidade chocante que aí está, não se façam surdos aos aconselhamentos e orientações que lhes trazemos num gesto de amor maior, amor universal.

Que o Pai os inspire e a luz se faça destruindo as trevas que envolvem o Planeta Terra.

Que assim seja!

 

                                                                           Messias

 

 

Recebido pela Nydia em 17.03.2009

Revisão: Clovis