Home > Navegue

RECADO AMIGO

Passei pela vida como um turista, prestando atenção apenas em alguns pontos, fatos, e não protagonizei minha obra, minha história.

A grande maioria da humanidade não dá valor às verdadeiras riquezas, não sabe identificá-las e, quando as descobre, já se faz tarde, já se está a caminho do outro lado, não podendo assim compartilhar com seu grupo familiar, com as pessoas com as quais convivem como aprendizes na terra, e então deixam de cumprir sua tarefa, não realizando o aprendizado. Tarde para realizar a proposta determinada para tal encarnação, pois do outro lado tudo tem sua continuidade, as oportunidades são eternas assim como o aprendizado.

No Plano Maior é onde verdadeiramente todos nós temos as condições de exercitar as descobertas aonde falhamos e, assim, nos desenvolvermos para voltar, quem sabe, de uma maneira mais suave e melhor na nossa essência.

No Plano Espiritual tudo se faz mais simples para o aprendizado, não há a disputa, arrogância, tudo é autêntico, não temos como mascarar nossos sentimentos, nos tornamos transparentes. A descoberta de nossa essência, da nossa realidade é o que há de mais duro perante “a morte”, depois nos ambientamos, executamos tarefas, fazemos a continuidade do nosso aprendizado, daquilo que não fizemos quando encarnados. Aqui não temos que lutar pela sobrevivência, pelas necessidades e vaidades mundanas, somente pelas necessidades da alma, do espírito.

A fraternidade e o respeito são valores inexplicáveis, nos proporcionam sensação de liberdade, despidos do medo, basta, para tanto, seguirmos as regras.

No plano terreno se as regras fossem seguidas, se as palavras do Pai fossem ouvidas, tudo seria pleno. Mas tudo faz parte de uma lapidação, para que o homem se faça preciosidade em espírito.

Assim como eu só vim a entender as lições ao desencarnar, como posso querer que vocês meus irmãos, sejam diferentes? Tudo é um processo, uma construção, e hoje muitos são os alertas, pena que não prestam a atenção devida. Não existiria tanta dúvida, tanta dor, se fossem mais resignados, falo principalmente para os que trilham o caminho do espiritismo, pois já se fazem responsáveis por suas escolhas, atitudes, à medida que vão tomando conhecimento da doutrina, de como as situações se procedem, as leis de ação e reação, causa e efeito, já não podem mais se considerar vítimas – de um destino –, pois cada um se faz responsável pela sua história.

Quando reencarnamos, viemos como um livro gigante, cheio de páginas em branco, e cabe a cada um preencher estas páginas; os personagens, os colaboradores serão muitos, porém o autor e o protagonista da história somos nós mesmos.

Fraternidade, simplicidade, doação, abnegação, aceitação, compaixão, estes são alguns dos verdadeiros valores, dos ingredientes principais para uma boa história, a receita para a paz de espírito e para construção de um novo amanhã.

Permitam-se mudar, perseverem seguindo a busca por valores construtivos, a jornada se fará mais leve, e vocês mais verdadeiros e alegres.

O princípio de tudo é o amor, o amor por si mesmo, o olhar para o outro como nossos irmãos e como parte de nós, com defeitos e qualidades.

Sigam em frente, verdadeiramente na tão falada reforma íntima, pois tudo é eterno, os fatos se somam.

 

 

Eusébio

 

Recebida pela Joice em 10.03.2009

Revisão: Clovis