Home > Navegue

PARA ALIVIAR AS DORES DA ALMA

 

Quando a dor for muito grande, pesar demais em seus ombros a vida e suas solicitações e tiver a sensação de que ninguém pode entender e compartilhar seu sofrimento, não chore sozinho, busque com cuidado e encontrará quem seja capaz de abrir-lhe os braços e envolvê-lo em ternura e compreensão.

Não alegue que não existe alguém com tal condição, pois isto é uma inverdade; muitas vezes os que podem auxiliá-lo estão bem próximos, outras, podem ser aqueles que você não imaginaria ter tal capacidade, pois o Mestre não permite que alguém fique em desamparo, sem um gesto de atenção e afeto de seus iguais.

Ocorrendo, porém, uma situação em que o apoio imediato e tão necessário não seja obtido, não desanime, vá até algum local em que se sinta protegido, seja um templo, uma capela, um espaço espiritual onde, certamente, poderá liberar sua dor, não para seus iguais, mas para os Seres especiais que estão atentos e prontos ao conforto que está a precisar.

Percebemos que umas tantas vezes, estar em um local onde predomina a espiritualidade em qualquer que seja sua manifestação, facilita a conexão com seu Mentor proporcionando uma liberação plena de suas emoções e o consequente alívio do que lhe aflige a alma.

Deixe que sua dor seja expandida, entregue-a aos Seres que têm condições para entender e abrandar seu sofrimento.

Sabemos que a maior dor é a provinda de sua alma que muitas vezes se sente aprisionada e não consegue a serenidade que precisa para permanecer executando o que se comprometeu antes de vir para a materialidade humana.

Não se preocupe se precisar ir de um templo a uma capela e de lá a um centro espírita, interessa tão somente que o alívio seja encontrado, que você consiga se sentir entendido e amado independente das condições que apresenta, aos outros, neste seu especial momento.

Já vimos muitos caminhantes que chegam à Casa de Aura Celeste, entristecidos, acabrunhados, entregues a si mesmos, sem rumo, desnorteados, ser recebidos com carinho e atenção e esta inicial acolhida já os aliviar, já fazer com que se sintam menos abandonados pela vida, menos incompreendidos por seus semelhantes.

Algumas vezes já sugerimos que se recolhessem ao silêncio em busca da tranquilidade e alívio para suas inquietações, mas em casos de dor extremada o recurso que agora lhes indicamos poderá ser muito mais adequado, pois nem sempre o sofrimento é suportável em solidão material e em silêncio interior.

Fé e coragem, tudo se resolve em seu tempo.

                                      Anabando

 

 

Recebida pela Magali em 16/07/2011

Revisão: Clovis