Home > Navegue

SEGREDOS

 

O que você oculta dos demais, que considera algo incomunicável a ninguém, mas que pode lhe deixar inquieto, ansioso de que venha este algo tão bem ocultado a ser descoberto?

O que, ainda, você oculta de você mesmo, dissimulando que aquele sentir, aquela vontade, anseio, desejo não estão pulsando em seu âmago e querendo se manifestar?

Estamos abordando tal assunto por verificarmos o quanto despendem de energias, querendo esconder o que é inescondível, se não dos outros, de você mesmo o que, entretanto, não o impede de insistir em ocultar.

Se você decide que determinado sentir interno não deve ou não precisa ser compartilhado com ninguém, é uma opção e direito seu, porém quando existe algo que você identifica, que pulsa insistentemente por se manifestar e você bloqueia, não admitindo para si mesmo, seu proceder está tão somente lhe causando danos.

Reconheça o que sente, pensa, deseja, admita que é capaz de algo assim, não tão bonito, publicável, apresentável aos demais, aceite seu lado menos luminoso – ele faz parte de você – e descobrirá que ao aceitar se sentirá mais sereno, mais completo como ser humano e espiritual que você é.

Não fique a imaginar o que os outros pensariam de você, como ficaria sua imagem se alguém soubesse deste seu lado pouco agradável e aceitável pela sociedade.

A importância em reconhecer que você não é um Ser exemplar, puro, perfeito, ainda que tenha sido feito à imagem e semelhança do Mestre, está em que desta forma poderá trabalhar o que não é luminoso, se não para dar-lhe luz total, pelo menos para que comece aos poucos, dentro de suas capacidades, a ir tirando o peso que este seu segredo pode estar representando em seu sentir e agir.

Outro aspecto a ser destacado e que você não é o único a ter um lado sombrio, todos os seus parceiros de jornada também o tem e, como você, também insistem em negar, destacando sempre o que é aceitável, elogiável e que colabora para a imagem que todos querem ter frente aos demais.

Não se enganem acreditando que são diferentes uns dos outros, não o são no que diz respeito às luzes e sombras internas, mesmo que sejam de características diferentes o que é luz é luz, não importa a intensidade e o que é sombra é sombra, não importa sua opacidade.

Quando constatamos o quanto de tempo e energia estão perdendo em se fazer o que não são, guardando como segredo sentimentos e atitudes que são inerentes a todos, nos inquietamos pela extensão do compromisso espiritual de cada um e o quanto estão se prejudicando em seu avanço espiritual.

Por fim um aspecto fundamental a destacar é o quanto seu lado menos luminoso se torna acesso fácil às energias menos positivas e querendo ou não, se presta ao que os Seres de poucas luzes anseiam, pois na medida em que se concentram em proteger sua imagem, descuram da faceta positiva de seu Ser e se enfraquecem, possibilitando assim, que de um modo ou de outro sejam alvos da densidade.

Assim como nós os vemos e aceitamos como são, em sua totalidade, procurem se aceitar como Seres imperfeitos que são.

Para nós vocês não possuem segredos.

 

Amigos da verdade

 

 

Recebida pela Magali em 12/06/2011

Revisão: Clovis