Home > Navegue

SILÊNCIO

 

Aquietem suas atribuladas mentes, reduzam as atividades corporais, deixem que o silêncio os envolva e assim, na quietude de suas essencialidades, encontrarão a serenidade que o momento está a exigir, o equilíbrio em suas manifestações e a aproximação de Seres em condições de guiar seus passos pelo caminho mais firme e fraterno onde encontrarão, certamente,  as fontes de sabedoria e amor de que tanto estão carecendo.

Não estão agindo com sabedoria, não estão dando o seu melhor, porque permitem que suas condições emocionais se manifestem em detrimento do que a espiritualidade pode – através de seus Mentores lhes aportar.

Nós entendemos o valor do silêncio, pois que a ele recorremos quando observamos que estão se digladiando por ideias vazias, reprisando temas já enfrentados, enfrentamentos que nada acrescentam ao que precisa e com certeza será feito pelos Mentores desta Casa em benefício da maioria dos que nela fazem seu aprendizado do Servir Amando.

Com o tranquilo silêncio de suas almas abrirão espaço para que o melhor venha a se manifestar, para que possamos lhes intuir o mais adequado, importante e necessário procedimento em relação ao delicado momento pelo qual, mais uma vez, está a Casa de Aura Celeste a passar.

É preciso que aprendam a ouvir, sem se manifestar, principalmente, quando forem temas que gerem controvérsia, negatividade, frustrações e mágoas.

Quanto mais ouvirem, silenciosamente, melhores possibilidades terão em fazer, posteriormente, uma manifestação adequada, que atinja os objetivos a que se propõem.

Não descuidem do “orai e vigiai”, e no momento atual, muito mais valiosa se torna tal atitude, pois evitará que contribuam, ainda que inadvertidamente, para disseminar a densidade energética.

Façam um momento, voltamos a repetir, de extremo silêncio externo e interno e deixem que tudo se acomode, que as revoltas águas das incompreensões voltem ao seu curso normal e o rio da existência humana faça com que elas sigam adiante, levando tão somente o que está solto como impaciência, irritação, raiva, mágoa, tristeza e não abalando o que está enraizado em suas essências como a fraternidade, a paciência, tolerância e empatia e que são capazes de tornar tudo mais simples, menos trabalhoso e perturbador.

Gostaríamos de nos manter silenciosos, apenas lhes aportando energias amorosas, entretanto, a cada momento se faz mais necessária nossa manifestação mais direta, para tentar mais uma vez, alertá-los para o quanto é importante as condições individuais, para que o todo maior se reequilibre.

Vocês podem não ter chances de alterar o pensar e sentir do outro, mas são responsáveis pelo que sentem, pensam e colocam em prática.

Não comentem, não divulguem, não ampliem o que não for positivo e gerador de equilíbrio para que se cumpram as tarefas de que estão envolvidos os tarefeiros desta Casa.

Esperamos que nosso recado seja acolhido no silêncio de suas almas.

 

Anabando

 

 

Recebida pela Magali em 22/06/2011

Revisão: Clovis