Home > Navegue

DÁDIVAS

Que os braços que ora te amparam
Se fortifiquem no amor maior
Que as dores afligentes e apelativas
Ao temor infundado
Se abrandem ante a bondade
Daquele que tudo pode
E faz por seus filhos!

Seja tua alma banhada
Nas águas límpidas
Da esperança e da fé
E purificada fique
Ao dispor da generosa fraternidade!

Elevem-se teus pensamentos
Às alturas do bem e da caridade
Agraciando-te com a luminosa
Clareza de teu sentir!

Cheguem aos céus
As mais lindas palavras
De perdão e reconhecimento
Pelo que estás recebendo!

És como teus irmãos de jornada
Um filho dileto
Que mesmo na insignificância
De um minúsculo grão de areia
Ocupas o espaço da ternura
Proteção e amor celestial!

Teus poderes
Tuas indagações, dúvidas
Inquietações e incertezas vivenciais
A ti pertencem
E ao outro não compete
Julgar criticar penalizar!


Tu és o pastor
De teu rebanho interno
Que seguirá por onde determinares
Não temendo nenhum
Animal feroz
Pois tu és o seu melhor guia!

Respira fundo bem fundo
Expelindo a poeira da mágoa
Os sons da tristeza
Aspira odores
Suaves de bondade!

Tuas são as escolhas
Tuas as resultantes
Contigo está a mão
Que direciona tuas decisões!

Te autoabraça com carinho
Afaga teu afeto
Em benefício próprio
E por ele preenchido diz aos céus
De teu reconhecimento e gratidão
Pelo que estás vivenciando!

Recebe o menor e mais perfumado
Cristal de gotas
De amor e alegria!
Sê feliz!
É o momento!


Alícia



Recebida pela Magali no Grupo Sintonia em 20/11/2015
Revisão: Clovis